sexta-feira, maio 06, 2011

Os Homos e os Heteros



Parece que o Brasil entrou pro eixo de discussão social sobre a homosexualidade. Sim! Chegou a nossa vez! A partir de agora não dá para simplesmente dizer; “vamos deixar essa conversa para outro momento” ou “Isso é pecado e pronto”. As Ongs pro-Gays estão ai, pressionando todo mundo: o congresso, a sociedade civil, a polícia, os turistas, e quem passar pela frente! Por outro lado, temos os pro-Héteros, ou seja, os anti-gays. Notem que a ação dos pro-gays criou um movimento contrário tão forte que não dá pra saber o final desse cabo de guerra. O interessante é que os dois grupos, os pro e os antis, lutam por uma moral, com isso, o debate se torna extremamente moralista e pode até se tornar facista.

Como disse antes, agora não dá mais pra ficar fora dessa conversa. Nossas vidas serão expostas a essa realidade mais cedo ou mais tarde.
Bem, além de dizer que o homosexualismo é pecado, o que a Igreja teria pra dizer para esse dois grupos? Sim, os dois grupos precisam de uma palavra da Igreja, tanto os pró-gays quanto os anti. Vejamos: se a igreja não se posicionar profeticamente, os pro-gays conseguirão moldar a sociedade colocando os pro-héteros como bandidos. Por outro lado, se uma palavra não for dada aos pro-héteros, se criará de fato um movimento homofóbico, ou heterofóbico, que em nada ajudará no testemunho da fé.
Prezado leitor, esse debate chegou à sua mesa, e está na hora de se preparar seriamente com respostas que vão além do moralismo, pois vidas estão em jogo.
Estamos vivendo um momento de grande oportunidade para o crescimento espiritual. O moralismo evangélico não tem respostas para essa crise de identidade que nossa sociedade vive. Parece que de uma vez por todas, os cristão vão ser desafiados a conhece melhor o coração de Deus em relação à humanidade e aos seus filhos.
O posicionamento recente do deputado federal Jean Wyllis, é também um equívoco e só serve para aumentar a tensão. Da mesma forma, a tentativa de transformar em crime o fato de se discordar do ato em si é outro erro que não mudará a realidade de agressividade que nossa sociedade machista tem em relação aos homosexuais.
Creio que esse debate ainda vai criar muita tristeza, caso o debate continue nesse ritmo de agressões e intolerância de ambos os lados.
O que fazer? Ora, cada um dará conta de si. Aprender a respeitar os outros é parte do aprendizado de se viver em comunidade. Quer pecar? Vá em frente. Quer se santificar, vá em frente! E cada um dê conta de si.
______________________________________________________
Texto de: Gerson Freire Fonte: Cabeça Jovem / Redação: Diante de Deus

0 comentários:

Postar um comentário