sexta-feira, março 30, 2012

2º Culto Mulheres DT: Mais uma noite de cura e transformação. Assista!


A segunda edição do Culto Mulheres Diante do Trono reforçou o chamado deste ajuntamento: restauração de mulheres para a glória de Deus!
Reunir mulheres de várias partes de Belo Horizonte e região em plena quarta-feira, às 19h, no Templo da Lagoinha, tem um propósito. Não é para simplesmente promover um ajuntamento, encher um prédio, lotar uma igreja. O objetivo deste encontro mensal -sempre na última quarta-feira do mês, é, para muito além disso. É para levantar um clamor santo, uma adoração profética, fazer subir ao Pai as súplicas, lágrimas e sorrisos de mulheres que colocam diante de Deus suas dores, anseios e necessidades. Stephanie Vidal, 18 anos, diz que é surpreendente ver tantas mulheres juntas: “Vim ao primeiro Culto, estou no segundo e meu objetivo é vir ao próximo. A liberdade que sinto aqui é maravilhosa”. Márcia Damazu, completa: “A liberdade e a comunhão que temos aqui é muito boa. Estamos em casa, podemos compartilhar o que sentimos e trocar experiências. A alegria é o diferencial do culto. Assisti o primeiro pela TV, foi tão envolvente que eu quis vir pessoalmente”.

Como disse Ana Paula Valadão Bessa, ainda na abertura do culto, histórias de vidas que poucos conhecem, e histórias que ninguém conhece, como Deus, se encontram em cada Culto Mulheres Diante do Trono. Só o Deus de amor e bondade sabe o que se passa no coração das milhares de adoradoras que se reuniram nessa quarta-feira (28/3), para adorarem ao Rei dos reis. Uma dessas histórias que poucos conhecem, foi contada pela pastora Ana Paula, sobre uma mulher que estava no Templo da Lagoinha desde cedo, muito triste pela perda de um filho. A emoção expressada pelas mulheres e os testemunhos, mostrou que muitas delas chegaram ali feridas, cansadas, angustiadas e sem esperança. Mas, na segunda edição do culto a Deus especialmente feito por mulheres, elas foram ministradas a serem curadas pelo Espírito Santo de Deus, que enxuga lágrimas, cicatriza feridas e liberta.

Débora, uma das pastoras do Moriá abriu a noite orando, consagrando o Culto ao Senhor e clamando para que o mover do Pai viesse sobre as mulheres. Prova de que meninas e adultas adoram ao Senhor em unidade no Culto Mulheres Diante do Trono, foi ver crianças participando desse momento, algumas recém-nascidas, e uma senhora com 89 anos – recebeu flores em uma homenagem.

Susan Dutra, Consultora de Moda, levou novas dicas sobre como as mulheres devem se vestir de acordo com seu tipo físico. O tipo físico retratado por ela no culto foi mulheres que têm os ombros mais estreitos que o quadril. Susan disse que as dicas são pretextos para incentivar as mulheres a se vestirem com prudência, mas sem deixarem de se cuidar, pois ela afirma que é possível ser cristã e estar sempre bonita. Lorena Sapori, 19 anos, compartilha: “É a segunda vez que venho à Lagoinha. Fui convidada a vir em outro culto e gostei, mas esse culto é uma oportunidade linda para eu aprender das coisas de Deus com uma perspectiva feminina, aprendendo a ser uma mulher segundo a vontade de Deus”.

A pastora Ana Lucia, líder da Rede de Mulheres, representou a igreja na homenagem para a pastora e missionária Imaculada Alvino, que retornará a Índia para cuidar de meninas em situação de prostituição no país. Após homenagem a Pra. Ima (como é chamada carinhosamente) contou vários testemunhos de mulheres salvas e restauradas no Projeto Índia, desenvolvido pela Lagoinha desde 1990. A Pra. Ezenete Rodrigues orou abençoando e enviando a Pra. Ima para a nova missão.

Um bate-papo entre as pastoras Iara Diniz, Ana Paula Valadão, Helena Tannure e Márcia Resende, introduziram o tema da noite: “Filhas amadas – Restaurando nossa identidade a partir de um relacionamento com o Pai Celestial”. Discutindo o papel do pai terreno na vida da mulher, contaram testemunhos de suas experiências com o Pai Celestial, Deus.

Curioso é que nos locais ao redor da Lagoinha muitos homens assistiram pela TV Rede Super, outros acompanharam pela Internet e alguns até decidiram entrar no Templo. Guilherme Fares, integrante do Ministério de Louvor Diante do Trono, que foi ao culto para ministrar o louvor disse que se sente privilegiado por participar de um momento como esse: “Entendo que cada mulher aqui está buscando de Deus uma direção, para alguma área em sua vida. Isso é o fundamental! Independente da “dica” que essa mulher veio buscar aqui, ela vai receber orientação do Alto. O que me impressiona é ver tantas mulheres reunidas em um mesmo culto. Acredito que o que as motiva a viver esse momento é a comunhão, são tantas histórias distintas, mas nesse momento as mulheres se ajudam, trocam experiências e são abençoadas por Deus”. Certamente, como auxiliadoras de seus lares, os homens aprendem muito com elas no dia a dia.

Fechando o tema sobre a paternidade de Deus, ministrado ao longo do culto, a pastora Ana Paula Valadão Bessa pregou a Palavra. Sobre a ministração, Helena Tannure, compartilha: “Nesta noite recebemos três chaves para que possamos reconhecer a paternidade de Deus. E nós tomamos posse dessas chaves. A primeira chave é perdoar o nosso pai terreno, pois por melhor que esse homem seja, por mais que ele se esforce, ele nunca vai suprir todas as nossas expectativas e necessidades como filhas. A segunda chave é conhecer Jesus, pois foi Ele que nos revelou Deus como Pai. E Deus pode ser chamado de Pai. Aprendemos isso na oração que Jesus nos ensinou, o Pai Nosso, por meio dela aprendemos a nos relacionar com Deus como Pai. A terceira chave é fazermos de tudo aquilo que ouvimos no dia a dia, às vezes as mentiras do diabo ou do nosso próprio coração ferido, tudo que nos vier a mente, um teste com cinco palavras: ‘Meu Pai Celestial me disse’. Se não encaixar precisamos desprezar e tomar posse daquilo que a Palavra de Deus diz sobre suas promessas e amor por nós.

Helena completa: “Estamos maravilhados porque sabemos que esse é o caminho para recebermos a cura, a restauração e a salvação em Cristo Jesus. Para entendermos que Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu único filho para que Ele se tornasse o primogênito de muitos irmãos. Hoje, quando não mergulhamos nessa paternidade, nesse relacionamento com Deus, não somos curadas e andamos em uma vida com tantas feridas, nos arrastando. O Senhor quer nos libertar por meio de Seu amor”.

Ao final do culto, a Pra. Ezenete Rodrigues orou clamando ao Senhor que quebrasse todo sentimento de rejeição, insegurança, medo, incapacidade e solidão dos corações das mulheres. Um momento profético para cada mulher que esteve presente, quando a pastora orou por libertação, repreendendo, em nome de Jesus, o jugo, as cadeias, a prisão espiritual. A Pra. Ezenete compartilha: “É o tempo da vitória na vida de mulheres que amam ao Senhor de verdade. Além das três chaves recebidas nesta noite, mais quatro chaves foram entregues por meio da vida da Ana Paula a todas as mulheres, chaves que abrirão portas ainda não conhecidas”. E todas foram ministradas a crerem que carregam a marca do Senhor, a marca da vitória nas mãos e a darem um basta àquilo que não procede do Pai Eterno. Após o apelo, momento em que muitas mulheres aceitaram Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas, a segunda edição do Culto Mulheres Diante do Trono terminou com muitos testemunhos e mulheres renovadas. A última ministração foi a nova canção do Diante do Trono a ser gravada no CD DT 15, em Manaus, no próximo dia 9 de junho.


CONFIRA OS VIDEOS:















Fonte: AmigosDT

0 comentários:

Postar um comentário