quinta-feira, julho 28, 2011

Festa para o mundo pode! E para Jesus?! Ministério Publico cai em cima do Diante do Trono




A imprensa secular do Rio Grande do Norte e até mesmo a mídia gospel nacional está caindo em cima do Diante do Trono, da Prefeitura Municipal de Natal e da Governadoria do Estado do Rio Grande do Norte pela questão do valor da gravação do DT14 – Sol da Justiça.


O vereador Albert Dickson e até mesmo a prefeita Micarla, ao chamar o Diante do Trono para gravar o DT14 lá em Natal, disse que iria ajudar e apoiar o evento “em todos os aspectos”. A própria governadora do estado disse essas palavras em um encontro que ela teve no mês de Julho com Ana Paula Valadão e o Pr. Márcio Valadão em sua própria residência. A prefeitura deu uma ajuda de R$: 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) e o governo do estado contribuiu com mais R$: 40.000,00 (quarenta mil reais) para a gravação do álbum do Diante do Trono na praia do Meio, e bastou ser divulgado isso no diário oficial que as polêmicas começaram a brotar.

“Porque gastar tanto dinheiro com uma gravação?” e também frases como “Não precisa disso para pregar o evangelho” tomaram conta de fóruns e debates via internet. Acontece que tudo, tudo mesmo, é pago em uma produção como as gravações do Diante do Trono. As despesas são inimagináveis. Para se ter uma ideia, o DT13 – Aleluia que foi gravado na arena de  Barretos e obteve ajuda da prefeitura e dos pastores locais, custou cerca de R$: 1.000.000,00 (um milhão de reais) para o Diante do Trono, e tudo porque os gastos, realmente, são enormes, tudo para que o trabalho final resulte em algo lindo, como tem sido até aqui. A excelência é uma das marcas do Diante do Trono. Dá pra fazer com 100 mil reais? Dá! Mas não vai ficar igual a um projeto onde foi gasto 1 milhão. O alcance também não será igual, e isso é o que mais importa: quantas vidas serão tocadas pelo projeto.

Outra questão foi sobre a prefeitura e a governadoria ter liberado esse dinheiro para ajudar nos custos da gravação. A coisa mais simples e natural do mundo é as prefeituras e os governos liberarem dinheiro para produções culturais e artísticas hoje em dia. A prefeitura do Rio de Janeiro gastou milhões com a produção do show do Luan Santana, mas nada disso foi comentado, nem escandalizado por ninguém. Maria Bethânia conseguiu 1,5 milhão do governo apenas para criar um blog, pra se ter ideia. A própria prefeitura de Natal gasta milhões com logística, estruturas, divulgação, etc, no chamado “Fortal”, ou até mesmo no “Carnatal”, onde dezenas de artistas se apresentam. Pra isso, ao contrário, quanto menos é investido, pior é e a imprensa cai em cima; mas para ajudar na gravação de um álbum que conseguiu ajuntar mais de 120.000 pessoas na praia do Meio, sendo considerado o maior evento que o estado já fez, pra isso não pode, ou melhor, pra obra de Deus não pode!

Os políticos liberaram verbas pra essa produção,  mas quanto mais Natal não ganhou com o turismo? Os hotéis, restaurantes, transportes, enfim, de Natal não são tão baratos, e foram utilizados por milhares e milhares de pessoas, durante 1, 2 ou até mesmo 3 dias. Milhões e milhões de reais foram deixados no comércio local. Sem contar os que não conheciam a cidade, mas depois de irem para a gravação, passaram a conhecer e planejam ir outras vezes para a cidade. E outra: 300 mil folders serão anexados nas caixas dos discos do DT14, falando sobre Natal, como um sinal de agradecimento do Diante do Trono pelo acolhimento que os potiguaras deram ao ministério.  Em suma, a cidade só teve a ganhar, e a imprensa não tem do que reclamar. Se há aí uma jogada política, por parte da oposição da prefeita e da governadora, nós não sabemos dizer, mas o Senhor julga o interior, e sabe o que se passa nos planos arquitetados por todos, inclusive pelos nossos inimigos, então, deixemos que Ele julgue e tome suas próprias atitudes, pois a consciência do Diante do Trono e de todos os envolvidos estão limpas, pois o correto foi feito, e o objetivo, sem dúvidas, está sendo alcançado, o de abençoar as vidas através destas canções em todo o Brasil. Como a própria Ana Paula Valadão tem dito, o que importa não é a reputação, mas o caráter.

E com isso ainda tem gente que diz que somos “livres” aqui no Brasil pra exercemos nossa fé. Perseguições como essa demonstram que, infelizmente, hoje em dia os ministérios gospeis não tem o mesmo respeito que os artistas seculares, pelo menos na mídia. E a perseguição não é só contra os ministérios não, é contra o povo de Deus, pois essa não foi a primeira, nem será a última vez que seremos discriminados. Uma única frase que gostaria de destacar e que foi dita por um membro da comunidade do Diante do Trono no Orkut é: “Se acostumem, pois isso só vai aumentar. O Brasil é do Senhor Jesus!”

Esperamos, pois, por um Brasil onde os projetos se voltem não apenas para a salvação do corpo, mas, principalmente, da alma.

NEle, que ao seu tempo brilhará sobre o Brasil como um Sol que traz justiça.


Fonte: FamiliaDT / Via: Diante de Deus

0 comentários:

Postar um comentário