terça-feira, junho 07, 2011

Culto à esqueleto feminino chega a 8 milhões de seguidores

Um culto para lá de estranho acontece nos últimos anos no bairro de Tepito, na Cidade do México: o culto a um esqueleto feminino que cada dia mais se populariza e se torna objeto de devoção.

Para se ter ideia da dimensão deste chamado culto, muitos católicos aderiram a ele o que, segundo os responsáveis, os permite afirma que os seguidores da Santa Morte – é assim que o culto é chamado, já chegam 8 milhões de pessoas não no México, mas também em outros paises da América Central e nos Estados Unidos.
Segundo os peregrinos, em troca de orações e oferendas, a Santa Morte oferece proteção e pode ajudar quando há algum problema difícil.
Alguns afirmam que a Santa Morte é o culto dos criminosos, mas, para muitos, ela é uma figura religiosa como qualquer outra.
“Todo tipo de pessoa acredita na Santa Morte. Pessoas boas usam para coisas boas, e pessoas más, para coisas más”, afirma um peregrino.
Enriqueta Romero, a mulher que criou o templo no bairro, defendeu o culto em entrevista ao correspondente da BBC Mundo no México, Julián Miglierini.
“Se a pessoa é um sequestrador e um bandido e também seguidor da Santa Morte, então é algo pessoal, cada um sabe o que faz. Sabemos que é errado, mas é algo pessoal”, disse.
Crime
Para alguns, a localização deste santuário é mais um sinal da ligação do culto aos criminosos.
A área de Tepito é considerada uma das mais perigosas da Cidade do México e acredita-se que seja um refúgio de criminosos.
O culto pode ter um grande número de seguidores em Tepito, mas se espalhou pelo México, um país muito católico. E a Igreja Católica do país não esconde sua desaprovação.
“O culto é completamente rejeitado, é superstição e tem um elemento diabólico. A Santa Morte é inaceitável, é impossível ser católico e ser devoto da Santa Morte”, afirma o porta-voz da Igreja no México, Hugo Valdemar.
Para José Gil Olmos, autor de um livro sobre o assunto, o sucesso do culto se deve a própria hierarquia da Igreja Católica.
“Este é um reflexo muito claro da crise na Igreja Católica em seus níveis mais baixos. Suas brechas estão sendo preenchidas por outros cultos e crenças, pois no México existem estes santos populares e cultos”, afirmou.

Fonte: BBC / Redação: Diante de Deus

0 comentários:

Postar um comentário